Paralelos

Quanto vale o show no Carnaval Multicultural de Natal 2018?

O Carnaval Multicultural de Natal 2018 (CMN2018) teve sua abertura oficial, nas ruas, quinta-feira, dia 8 de fevereiro, no Largo do Atheneu, em Petrópolis, com show de Carlinhos Brown. A festa seguiu até dia 13, com shows em diferentes polos da cidade.

Mas muito antes da folia começar na ponta do pé, o Carnaval  Multicultural de Natal 2018 já esquentava os tamborins pelas páginas do Diário Oficial do Município, com a publicação dos extratos dos contratos e termos de inexigibilidade de licitação.

A Paralela fez um levantamento dessas publicações, informações que dão ideia de quanto é preciso para fazer um carnaval como o de Natal, que tem crescido nos últimos anos. E também para mostrar quanto vale cada show.

Ao todo foi investido R$ 1.333.500, de acordo com o publicado até dia 10 de fevereiro no Diário Oficial de Natal.

Esse levantamento ainda é parcial porque nem todos os artistas listados para se apresentar tiveram seus contratos ou termos publicados, o que deve ocorrer nas próximas edições do Diário Oficial da Prefeitura.

O que já foi publicado reúne grande parte dos dados referentes à festa. O destaque fica para o artista que conseguiu fechar o maior valor, superando outros que aparentemente têm mais projeção nacional. Mérito dele, claro.

Outro detalhe é que a Prefeitura conta com patrocínio de empresas para a festa. Os patrocínios também foram publicados no Diário Oficial. Ao todo, pelo que já foi divulgado, a Prefeitura conseguiu R$ 340 mil de quatro empresas patrocinadoras selecionadas via edital.

Patrocinaram o Carnaval de Natal: a Braseco, empresa que administra o aterro sanitário metropolitano, com R$ 75 mil; o Moinho Dias Branco, com R$ 50 mil (ano passado foi R$ 60 mil);  a Marquise Serviços Ambientais, uma das empresas que cuida da coleta de lixo na capital, com R$ 115 mil (em 2017 foram R$ 130 mil); e a AMBEV S.A., com R$ 100 mil.

time_brown
Carlinhos Brown abriu o Carnaval 2018, no largo do Atheneu. (Foto: GShow)

A comissão de frente deu o ar de sua graça na edição do Diário Oficial de 31 de janeiro  quando foram publicados os termos de inexigibilidade de licitação para os shows da Banda Independente da Ribeira, que se apresentou dia 8 de fevereiro, por R$ 20 mil; seguida da Banda Nana Neném, que se apresentou no evento Nazaré Folia, promovido dias 3 e 4 de fevereiro, por R$ 5 mil. Apesar deste evento ter ocorrido no domingo anterior à folia dita oficial, está sim incluído no Carnaval Multicultural de Natal 2018.

No mesmo Nazaré Folia também se apresentaram – e foram contratados com recursos do CMN2018 –  a banda Circuito Musical, por R$ 17 mil; o Frevo do Xico, por R$ 50 mil; Luizinho Nobre, por R$ 5 mil; e (fechando as publicações desta edição) Júnior Bahia, também por R$ 5 mil.

No dia 1º de fevereiro, a folia teve continuidade. O primeiro termo de inexigibilidade publicado foi o de Jarita, personagem criado pelo ator Bira Santos, contratada para a “Feijoada das Kengas” e o “Desfile das Kengas 2018”, dias 04 e 11 de fevereiro, no Bardallos e no Polo Centro Histórico. Pelo valor de R$ 5 mil. Mas essa publicação foi corrigida dias depois. O valor correto era R$ 9 mil.

Também no Polo Petrópolis, com apresentação marcada para o dia 12 de fevereiro, o Maestro Forró e a Orquestra Popular da Bomba do Hemetério foram contratados por R$ 60 mil.

Já a banda Perfume de Gardênia, contratada para tocar dia 10 de fevereiro, na mesma área, fechou o contrato em R$ 20 mil; e encerrou a lista de contratações publicadas no Diário Oficial do Município de Natal no dia 1º de fevereiro.

show-carnaval-com-margareth-menezes-x34y084518.jpg
Margareth Menezes se apresentou dia 11 em Ponta Negra. (Foto: Divulgação)

No dia 2 de fevereiro, novas publicações dos investimentos feitos pela Prefeitura de Natal para garantir que o carnaval da cidade se consolide como uma opção para potiguares e turistas que procuram folia com mais tranquilidade.

O primeiro a ser listado foi o cantor e compositor Leão Neto, contratado para tocar no dia 26 de janeiro, no Pátio da Funcarte, por R$ 5 mil.

A partir daí a animação deu um pulo e entrou em cena Margareth Menezes, “Eu falei faraó, ó, ó. Ela foi contratada para tocar dia 11 de fevereiro no Polo de Ponta Negra, por R$ 140 mil.

Para fazer show no mesmo palco, mas no dia 13 de fevereiro, Antônio Nóbrega foi contratado por R$ 48 mil. Dias 3 e 4 de fevereiro, respectivamente, sábado e domingo, o Diário Oficial não saiu.

Na segunda-feira, dia 5, o Carnaval Multicultural de Natal 2018 voltou às páginas da publicação com o contrato da banda Cavaleiros do Forró, para tocar dia 11 de fevereiro do corrente ano, no Polo Redinha, por R$ 50 mil.

Na sequência foi a vez da banda Monobloco — verdadeira tradição do carnaval natalense — contratada por R$ 115 mil, para se apresentar dia 12 de fevereiro, no Polo Ponta Negra. “Amor de carnaval, ninguém explica”.

Sem deixar a peteca cair, mantendo o valor dos contratos acima dos R$ 100 mil, os Paralamas do Sucesso vieram tocar na capital – também no Polo Ponta Negra, dia 9 de fevereiro — por R$ 142 mil. “Eu quis dizer. Você não quis escutar”.

Ricardo-Chaves-no-carnaval-2017-de-Natal-28.2.2017-ter-foto-Alex-Regis-Secom-Natal
Ricardo Chaves foi contratado para encerrar o carnaval, dia 13. ( Foto: Alex Regis/Secom Natal)

O contrato mais alto – de acordo com o que foi publicado até agora no Diário Oficial do Município de Natal – foi o de Ricardo Chaves. “É o bicho, é o bicho, vou te devorar”. Para tocar dia 13 de fevereiro (terça-feira), no Polo Ponta Negra, ele deve receber R$ 150 mil.

Também no dia 13 de fevereiro, só que no Polo Petrópolis, a cantora Roberta Sá foi contratada por R$ 75 mil e fechando as publicações do dia 5 de fevereiro foi a vez da Spokfrevo Orquestra, contratada para se apresentar dia 10 de fevereiro no Polo Ponta Negra, por R$ 65 mil. “Voltei, Recife! Foi a saudade que me trouxe pelo braço”.

Quem abriu o Diário Oficial do Município do dia 6 de fevereiro, na seção da que traz as publicações da Fundação Capitania das Artes, pôde conferir que o “the voicer” Carlinhos Brown também “perdeu” para Ricardo Chaves. O show que marcou a abertura do Carnaval Multicultural de Natal 2018, no largo da Confeitaria Atheneu, foi contratado por R$ 133 mil. “Ajaiô”!

Para tocar dia 10 de fevereiro, também no Polo Petrópolis, a banda Boca de Sino foi contratada por R$ 5 mil. Nesse mesmo dia, no Polo Redinha, na Zona Norte, a banda Grafith foi contratada para se apresentar por por 50 mil. Neste mesmo palco, mas no dia 13 de fevereiro, Chico Forrozeiro e Nethy Calasans fechou contrato de R$ 5 mil.

Monobloco
Monobloco manteve a tradição e se apresentou em Ponta Negra. (Foto: Divulgação)

Fechando a lista de contratos publicados no Diário Oficial dia 6, a banda Panka de Bacana. O grupo também foi chamado para se apresentar na Zona Norte, mas seu show, no dia 9 de fevereiro, foi contratado por R$ 11,5 mil.

No Diário Oficial do dia 7 de fevereiro só deu Sueldo Soares, mais ninguém. Ele foi contratado para se apresentar no Polo Petropolis, dia 8 de fevereiro, por R$ 5 mil.

Já no Diário Oficial do dia 8, quem pintou foi a Banda Dubê, para começar. A turma foi contratada para tocar dia 12 de fevereiro, no Polo da Praia dos Artistas, por R$ 17 mil. Outra banda, a Dugiba, conseguiu fechar seu contrato em R$ 15 mil para se apresentar dia 9 de fevereiro no Polo Ponta Negra. Já na Redinha, a banda Som e Balanço fechou em R$ 6 mil uma apresentação dia 9 de fevereiro.

Entre as publicações desse dia, uma se destaca: a referente à banda Cavaleiros do Forró. Foi o único grupo musical a conseguir firmar dois contratos para se apresentar: um na Redinha, já citado; outro no Polo Praia dos Artistas. Cada um no valor de R$ 50 mil, ambos no dia 11 de fevereiro. Ou seja, a Cavaleiros do Forró foi contratada por R$ 100 mil e “se réi pra lá”.

A programação oficial confirma os dois shows: um marcado para as 15h na Praia dos Artistas e outro às 23h, no palco Largo do Buiú, no Polo Redinha.

Na edição do dia 9 de fevereiro,  quem apareceu foram os grupos Congos de Calçola de Ponta Negra, Grupo de Boi de Reis do bairro do Bom Pastor com o Grupo de figuração representativa dos Três Reis Magos, Boi de Reis do Mestre Manoel Marinheiro, Pastoril de Cabeceiras de Tibau do Sul/RN, Lapinha de Ponta Negra, Cia de Circo os Ladrões de Sorris, Banda de Música Severino Cordeiro e Grupo Universitário de Dança Parafolclórico. Todo esse pessoal foi contratado para se apresentar dia 12 de fevereiro, das 16h às 21h, no Polo Petrópolis, por R$ 50 mil.

E encerrando – até o momento – o desfile do Carnaval Multicultural de Natal pelas páginas do Diário Oficial, restaram a Banda Pedro Paulo da Costa e Carlos Zens. Eles foram contratados para se apresentar no Polo Rocas, dia 9 de fevereiro, por R$ 5 mil.

paralamas-do-sucesso-credito-mauricio-valladares-3
Paralamas do Sucesso, o segundo maior contrato do Carnaval 2018. (Foto: Divulgação)

“Os de fora” e “os daqui”

Na comparação entre os artistas de fora do Rio Grande do Norte e os que são daqui, a conta das contratações fica dois terços “para fora” e um terço “para dentro”.

Ao todo, a Prefeitura empregou R$ R$ 853.000 na contratação de oito apresentações. Foram contratados Antônio Nóbrega, Maestro Forró e a Orquestra Popular da Bomba do Hemetério, Spokfrevo e Orquestra, Monobloco, Carlinhos Brown, Margareth Menezes, Paralamas do Sucesso e Ricardo Chaves.

Caso fosse dividido pela quantidade de artistas, a média seria R$ 106.625 por show.

Já o investimento nos chamados artistas da terra foi de R$ 480.500. Esse total foi empregado em 22 contratações, contando as duas da banda Cavaleiros do Forró.

Caso esse valor fosse dividido pela quantidade de contratações, a média seria de R$ 21.840.

De acordo com o Diário Oficial foram contratados para fazer shows no carnaval Banda Nana Neném, Luizinho Nobre, Júnior Bahia, Leão Neto, Boca de Sino, Chico Forrozeiro e Nethy Calasans, Sueldo Soares, Carlinhos Zens, Som e Balanço e Jarita.

Além desses também foram contratados: Panka de Bacana, Banda Dugiba, Banda Dubê, Circuito Musical, Banda Independente da Ribeira, Perfume de Gardênia, Roberta Sá, Frevo do Chico, Calçola de Ponta Negra, Grupo de Boi de Reis e outros grupos; Grafith e Cavaleiros do Forró.

Quanto vale o show[www.paginaparalela.com]


*Fonte: Diário Oficial do Município de Natal

Anúncios

9 comentários em “Quanto vale o show no Carnaval Multicultural de Natal 2018?

  1. Pingback: Levantamento mostra quanto custou o carnaval de Natal e quem patrocinou | Substantivo Plural

  2. Felicidade é ver gente poti estar como bem pago, mesmo sabendo que vai receber Deus sabe quando. Conferindo as informações, vimos que Frevo do Xico foi contratado por 50mil por dois dias de apresentação.

    Curtir

  3. Pingback: Atrações do Carnaval de Natal custaram quase R$ 1,4 milhão | Blog do BG

  4. Evan ia Costa.

    É, enquanto isso, servidores, saúde, lixos, buracos nas ruas estão deixando a deseja. Mais fazer o quê? Né, eles podem tudo. Pois tem o apoio da mídia. Onde foi esquecido de ser colocada na conta. Kkkkkkkk Quanto ganhou? Para tantos elogios!

    Curtir

  5. Pingback: Circo: mesmo atrasando os salários dos servidores terceirizados da Educação, Carlos Eduardo Alves gastou R$ 1.3 milhão com shows no carnaval – BLOG DO PRIMO

  6. Pingback: Quase R$ 1,4 milhão foram gastos com shows do Carnaval de Natal 2018 – Blog Caio Oliveira

  7. Kariza

    Esperamos que depois da ” festa” o prefeito tenha arrecadado mais dinheiro pra poder pagar seus funcionários.Seria uma boa contratar mais artistas da terra e uma grande atração nacional.

    Curtir

  8. Kariza

    O dinheiro gasto pagava muitos funcionários

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: